30 Setembro 2010

Risoto de pleurotus com entrecosto



Eu adoro arroz de míscaros mas acho que só comi umas 2 ou 3 vezes. Era a minha avó Ju que fazia este pitéu mas comia primeiro e só no dia a seguir é que a família comia, para se certificar de que não havia cogumelos venenosos. Lembro-me de adorar o sabor mas, desde que tive biologia celular na faculdade e me disseram que as diferenças entre cogumelos venenosos e não venenosos só era visível ao microscópio, nunca mais comi, nem mesmo depois de a minha avó comer. Isto tudo para vos explicar como fiquei maravilhada quando provei este prato com Pleurotus, pois sabem (quase) tal e qual os míscaros (pelo menos do que eu me recordo) e como com muito mais tranquilidade.

Só para verem como é bom, esta semana já comemos este risoto 2 vezes, como é que eu hei-de emagrecer...

Aqui vai a receita: 1 kg de entrecosto cortado às tirinhas pequeninas, 250g de pleurotus, 1 cebola picadinha, meio alho francês cortado às rodelas fininhas, 3 rodelas de chouriço aos cubinhos, pimento vermelho aos cubinhos a gosto, alho q.b., vinho tinto q.b., queijo parmesão ralado, arroz para risoto (pode ser carolino mas, com o específico para risoto, fica mais cremoso) e coentros q.b.

Começa-se por colocar a cebola, o alho francês, o chouriço e o pimento vermelho com um fio de azeite, ao lume até alourar. De seguida junta-se o entrecosto e deixa-se fritar um bocadinho. Depois juntam-se os cogumelos cortados às tiras, alho partido aos cubinhos e vinho tinto até cobrir ¾ da carne e dos cogumelos. Deixa-se cozinhar até o álcool evaporar e a carne e os cogumelos adquirirem a tonalidade escura conferida pelo vinho. Finalmente, retira-se a carne (mas deixa-se estar os cogumelos) e junta-se o arroz que fica uns minutos a refogar. Depois, adiciona-se um pouco de caldo a ferver (como vos falei no post anterior agora faço sempre um caldo com as sobras dos legumes e carne que estou a cozinhar, em vez de juntar só água quente) numa quantidade que dobre a quantidade de arroz (neste caso juntei 2 copos de arroz e 4 copos de caldo). Quando estiver quase pronto adiciona-se a carne, o queijo ralado e, já perto do fim, os coentros picadinhos.


Hummm. Só de me lembrar do saborzinho aveludado já estou de água na boca.

Experimentem.
Bom apetite!!!

28 Setembro 2010

O Outono já chegou à cozinha


Com os dias a ficarem mais fresquinhos e as saudades de castanhas a aumentar resolvi fazer um assado simples mas com cheirinho a Outono.

Comecei por cortar 2 cebolas às rodelas e dispus num pirex de ir ao forno. Coloquei o lombo temperado com sal tradicional ;-) e alecrim. Reguei com um pouco de azeite e um pouco de vinho branco. Levei ao forno a 200ºC cerca de 30 minutinhos. De seguida juntei as castanhas (congeladas e já descascadas), cenourinhas e uma mistura de legumes congelados. Deixei cozinhar tudo mais uns 30 minutinhos (deve-se ir virando a carne e quando ela estiver douradinha dos dois lados é sinal que já está pronta).
Não fiz acompanhamento pois as castanhas substituíram muito bem o arroz ou as batatas.
Bom apetite!!!



Aproveito também para agradecer as mais de 200000 visitas na minha cozinha. É muito gratificante. OBRIGADA :-)

22 Setembro 2010

Algumas dicas que eu aprendi...

Para muitos de vós estas dicas poderão não ser novidade mas para mim foram e vou adoptá-las na minha cozinha. Assim terei pratos mais saborosos e saudáveis.

Sabiam que:

- devemos cozinhar com sal marinho tradicional (a flor de sal também é muito boa mas como é mais cara deve usar-se para finalizar os pratos).
- nunca se deve comer sementes nem pele de tomate ou pimento cozinhadas.
- mal começamos a cozinhar devemos por uma panela de agua ao lume e todas as sobras do que estivermos a cozinhar (cenoura, cascas de cebola, pontas da courgette, espinhas do bacalhau...) vamos pondo para a panela. Assim sempre que precisamos de juntar água aos nossos cozinhados basta ir buscar à panela e coar este caldo.
- o bacalhau nunca deve ser cozido. Quando queremos cozer bacalhau pomos numa panela com água a ferver e mal esta volte a levantar fervura retiramos do lume ou levamos ao forno com um fiozinho de azeite, tapado com alumínio, a 150ºC, cerca de 25 minutinhos.
- o bacalhau deve ser demolhado sempre abaixo dos 5ºC para não fermentar. Ou seja, o ideal é demolharmos no frigorífico.
- só devemos descascar alhos e cebolas uma vez por semana. Depois de descascar pomos num recipiente com água morna e deixamos uns minutinhos. De seguida secamos bem e guardamos num frasco bem fechado. Assim, sempre que precisarmos basta ir buscar o frasco.
- antes de começarmos a cozinhar devemos preparar tudo (picar, cortar, descascar,...) pois torna-se muito mais rápido e fácil.
- para fazer massa brick em casa basta por uma panela ao lume e uma frigideira anti aderente por cima. Fazemos um polme só com farinha e água e pincelamos a frigideira bem quente com este polme (até fazer uma película muito fininha). Deixamos alourar um bocadinho e já está. Sem gorduras e sem necessidade de por ovo ou água para colar.

Agora não me estou a lembrar de mais nada mas vou consultar os meus apontamentos e se houver mais alguma venho aqui completar.

Espero que esta lista vos seja tão útil como foi para mim.

Beijinhos e bons cozinhados.


21 Setembro 2010

Adorei, Adorei, Adorei

Passei o dia a saltitar de curso em curso para não perder pitada ;-) e no final já nem aguentava as pernas. Foi muito intenso e aprendi tanta coisa nova que agora não me apetece sair da cozinha. O contacto com os Chefs é realmente uma experiência muito enriquecedora e saí com vontade de fazer todos os cursos deles. E como não podia deixar de ser, com uma foto e o livro autografado eheheheh.

Deixo-vos aqui umas fotos para sentirem que também lá estiveram.




Adorei conhecer o Chefe Vitor Sobral, pois para além de ser muito simpático não imaginam a quantidade de dicas que ele nos deu . Realmente é um Chefe com uma sabedoria infindável, com muita experiência e transmite-nos tudo com grande simplicidade. Respondeu às nossas dúvidas todas já para não falar das iguarias que ele fez. Só de lembrar já fico de água na boca. Agora já só estou à espera do show cooking que ele prometeu para o Porto.

O show cooking com o Chefe Gemelli também foi uma agradável surpresa. Ele fez um risotto sem arroz que deve ser uma delícia (foi pena não ter dado para provar), mas mal acabou fui logo a correr para a sua cozinha para fazer o curso com ele e aí provei verdadeiras delícias.



Foi uma experiência fantástica e a repetir.

17 Setembro 2010

Já estou a caminho do "Essência do Gourmet" 2010 :-)

Chefes conceituados, restaurantes mediáticos e produtos gourmet são apenas alguns dos principais ingredientes deste evento gastronómico que o Palácio da Bolsa, no Porto acolhe nos próximos dias 17, 18 e 19 de Setembro. Não faltam iniciativas para aprender a cozinhar ou apenas degustar, comida, mas também vinhos, que desta vez estarão em prova no Cais de Gaia.

  • 50 cursos de cozinha por dia, orientados por mediáticos chefes de cozinha, tais como Henrique Sá Pessoa, Vítor Sobral ou Chakall. Dos sabores tradicionais ao sushi, das criações “low cost” às refeições vegetarianas, do “finger food” às irresistíveis sobremesas, há cursos para todos os gostos e públicos. Estas 'aulas' decorrem em simultâneo, com inscrições abertas 15 minutos antes do início de cada sessão.
  • 300 produtos gourmet disponíveis para prova e aquisição
  • 30 chefes de cozinha convidados
  • 5 dos mais prestigiados restaurantes do Porto com degustações e várias provas temáticas de vinhos e produtos delicatessen.

A Essência do Gourmet estará patente no Palácio da Bolsa, no Porto, a partir de 17 de Setembro, das 15h00 às 21h00 e nos dias 18 e 19, das 11h00 às 20h00. Já o Wine & Tapas Experience abre ao público nas Caves Ferreira, em V.N. de Gaia, nos dias 16, 17 e 18 de Setembro, das 19h00 às 23h00.

Os bilhetes para o Essência do Gourmet custam 15 euros por pessoa. Para o Wine & Tapas Experience custam 20 euros. Se pretender conjugar os dois eventos, as entradas ficam por 30 euros por pessoa e incluem transfer por mini-bus entre o Palácio da Bolsa e as Caves Ferreira.

Informação retirada do Expresso

Vou saltitar de curso em curso, conhecer os grandes Chefs e claro, provar comidinha boa ;-) Depois conto como foi.
Beijinhos

Há dias assim...


...em que só nos apetece uma coisa simples mas saborosa e ontem foi um dia desses. Depois de um dia de trabalho, depois de uma reunião de pais, depois do banhinho dos filhotes, depois de dar jantar aos filhotes, o que me apetecia era ir logo para a cama mas a fome apertava. Fui ao frigorífico e com as sobras de frango de churrasco resolvi fazer uma sandes, e que bem que me soube. Torrei ligeiramente duas fatias de pão de forma, desfiei o frango, estrelei um ovo e juntei tomate as rodelas e folhas de coentros. Hummmm.
Há dias assim, em que uma simples sandes nos sabe tãooooooooooo bem.
Bom apetite!!!

15 Setembro 2010

Almôndegas e Hambúrgueres com coentros



Cá em casa as almôndegas e os hambúrgueres são sempre caseirinhos pois para além de serem muito simples e rápidos de fazer podemos sempre pôr temperos diferentes. Como a minha princesinha gosta muito de hambúrgueres costumo fazer para ela uns mais pequeninos e ela adora, pois sabe que foram feitos especialmente para ela.
Também costumo fazer grandes quantidades para congelar o que dá muito jeito para aqueles dias que não sabemos o que fazer ou quando temos pouco tempo.

Aqui vai a receita: 0,5 kg de carne de porco picada, 0,5 kg de carne de vaca picada, 4 dentes de alho picados grosseiramente (pois eu adoro encontrar bocadinhos de alho), 1 cebola pequena ralada, sal q.b., 1 ovo e coentros picados (desta vez resolvi pôr coentros e ficaram maravilhosos mas também resulta muito bem com tomilho, salsa, orégãos...é só deixar fluir a vossa imaginação).

Basta misturar tudo muito bem (eu misturo sempre com as mãos pois fica melhor) e fazer pequenas bolas (ter as mãos um pouco húmidas ajuda a que a carne não se cole aos dedos). Para os hambúrgueres basta espalmar essas bolas.

Para as almôndegas com molho de tomate fiz um refogadinho com cebola, alho, tomate, sal e azeite. De seguida juntei as almôndegas e deixei cozinhar cerca de 30 minutinhos (por vezes é necessário juntar um pouco de água, vinho, cerveja, ... como preferirem).

Quando faço hambúrgueres costumo pô-los no forno em cima de papel vegetal com um fio de azeite. Em 20 minutinhos estão prontos, douradinhos e sem dar trabalho nenhum.

Bom apetite!!!

13 Setembro 2010

Ontem foi um dia especial ...

pois fiz 32 aninhos.

Foi um dia muito feliz cheio de miminhos, beijinhos, prendinhas, passeio, sol, um belo jantar entre amigos, uma bela almoçarada em família, docinhos... e acabo sempre por falar de comida, mas para mim comidinha boa e em boa companhia é sempre um grande momento ;-)

O almoço em família foi um verdadeiro repasto com tudo o que eu mais gosto. Este ano para prato principal pedi (pedi e não fiz pois no dia do meu aniversário não me deixam entrar na cozinha eheheh) arroz à valenciana à moda da minha avó (com salsichas). Deixo-vos só as fotos do arroz e a receita fica prometida pois como não fui eu que fiz ainda não tenho a receita.


O meu bolo de aniversário foi mais uma vez (pois adorooooo) o bolo de amêndoa sem farinha (desta vez decorado com amêndoas laminadas e raspas de chocolate), mousse de chocolate da minha mamã, pudim da D. Ana e uns bombons deliciosos vindos directamente de Bruxelas ;-)


Obrigada a todos os que tornaram este dia ainda mais especial.

07 Setembro 2010

O regresso com uma sopinha de tomate



Estas férias foram passadas entre a praia e a calma do interior alentejano e como não podia deixar de ser sempre com óptimas iguarias na mesa. Na praia o peixinho grelhado foi uma constante acompanhado de boas saladinhas. Já no alentejo as açordas, os coentros em todo o lado e a sopinha de tomate souberam-me maravilhosamente. Como é que se pode manter o peso quanto mais emagrecer com estas delicias todas ... eheheh

Eu adoro sopa de tomate e nesta altura em que os tomates são tão docinhos e cheios de suco faço muitas vezes com ovos escalfados e acompanho com carne ou peixinho grelhado.

Aqui vai a receita da sopa: 4 tomates grandes e madurinhos, 1 cebola grande , 2 dentes de alho, sal q.b. e azeite.
Corta-se a cebola as rodelas, o alho e o tomate grosseiramente e leva-se ao lume com um fio de azeite e sal. Deixa-se refogar lentamente (se necessário junta-se um pouco de água mas se os tomates forem suculentos não é necessário). Quando estiver quase pronto juntam-se os ovos e deixam-se cozinhar cerca de 10 minutinhos. Se gostarem juntem coentros picadinhos e sirvam num prato com fatias de pão alentejano.

Simples e delicioso. Bom apetite!!!

06 Setembro 2010

As férias já passaram...

e deixam muitas saudades ...